Já conhece a nova unidade Asa Norte? Saiba mais. | WhatsApp (61) 9 8641-9201.
  • SEPN 513 Norte, Lt. 01, Bl. A, 3ºandar, Sl. 301 a 307, Edif. Bittar I, Brasília

Blog

Cuidado com Feridas Prevenção

Prevenção e Tratamento das Intercorrências Mamárias na Amamentação

Prevenção e Tratamento das Intercorrências Mamárias na Amamentação

Compreender as características de cada tipo de lesão nos mamilos e os cuidados preventivos a serem adotados é importante para a mamãe e para o bebê, à medida que assegura uma amamentação confortável e plena.

No entanto, a depender das condições do trauma nos mamilos é importante que mãe busque orientação médica com vistas a antecipar eventuais condutas curativas que sejam necessárias adotar de imediato.

Vamos conhecer os tipos de lesões nos mamilos.

* * *

FISSURA MAMÁRIA
A fissura mamária é a lesão do tecido do mamilo – comprometimento da epiderme ou da derme – pela pressão realizada pelo bebê quando a pega ao mamar é inadequada. Geralmente esse tipo de lesão ocorre em mamilo protruso.

As fissuras mamárias são classificadas como:

  • Fissura pequena: quando não excede 3mm e provoca pouca dor no início da sucção, sendo que, após as primeiras sugadas, a mãe refere desaparecimento da dor à sucção;
  • Fissura média: quando não excede 6mm e a mãe refere demora para o alívio da dor;
  • Fissura grande: quando excede 6mm; geralmente com formato curvo; a mãe queixa de dor intensa à sucção, a qual permanece durante toda a mamada, pode apresentar sangramento ou não.

MAMILO COM ESCORIAÇÃO
O mamilo com escoriação é caracterizado quando a região se apresenta com a epiderme levantada, deixando parte da derme descoberta (esfolado). Geralmente este tipo de lesão ocorre em mamilo semi-protruso ou protruso com mamilo apagado, ou seja, quando há excesso de leite nos seios galactóforos (dutos de maior diâmetro).

Essa lesão ocorre no quadrante superior externo do mamilo, porque esta área é onde incide a força da mandíbula do bebê no ato da sucção.

MAMILO COM EROSÃO
Ocorre quando o mamilo apresenta desgastes do relevo ou remoção de toda sua epiderme ou derme, ocasionando dor intensa durante o período de amamentação. Esta lesão é própria de mamilo invertido e pseudo-invertido.

Esse tipo de trauma ocorre devido à sensibilidade da pele do mamilo, que se apresenta úmida com característica de mucosa. Com a sucção ocorre a retração do mamilo. A movimentação do mamilo em atrito com a gengiva do bebê provoca este trauma.

MAMILO COM DILACERAÇÃO
O mamilo se apresenta “rasgado” na região areolar, esse trauma pode ocorrer em qualquer tipo de mamilo e é causado por grande pressão negativa, exercida geralmente pela “bomba de leite”.

MAMILO COM VESÍCULAS
Esta lesão é caracterizada pela presença de vesículas inteiras ou rompidas, devido a diminuição da circulação local, com consequente fragilidade capilar; com presença de exudato (tipo de secreção). Geralmente, tem como sintoma, ardor durante toda a mamada, piorando no final e logo após a amamentação.

Este tipo de lesão é causado pelo bebê durante a mamada quando há sucção não eficiente, provocada por uma zona de pressão negativa intra-bucal, sem que haja o reflexo da deglutição.

A sucção não eficiente pode ser observada através da palpação da articulação temporo-mandibular. Caso não haja movimentação dessa articulação, significa que o bebê não está sugando eficientemente, portanto, não está deglutindo e, assim, não ocorrerá a oxigenação do mamilo.

Um outro indicador da sucção não eficiente pode ser observado, colocando-se o dedo sob a mandíbula do bebê, abaixo do assoalho da boca, onde se perceberão movimentos rítmicos e rápidos, exercidos pela musculatura desta região e da língua (“bebê chupetando o mamilo”).

* * *

Se você constatou algum tipo de lesão nos mamilos durante a amamentação entre em contato com nossa equipe de saúde.

Intervenções precoces podem evitar condutas mais invasivas. O tratamento com laser, por exemplo, está entre as indicações para o tratamento de lesões nos mamilos, porém a mãe deve passar por avaliação da equipe de saúde antes de iniciar o tratamento.

* * *

Para uma amamentação correta, observe se:

  • A boca do bebê está bem aberta e os lábios estão voltados para fora. O lábio inferior fica bem virado para fora e o queixo toca a mama da mamãe.
  • O mamilo fica bem introduzido na boca do bebê com a ponta tocando o palato.
  • O bebê suga com dois movimentos simultâneos da mandíbula para cima e para baixo e uma onda da língua da ponta para trás (como um movimento peristáltico). Isto provoca a saída do leite para a parte posterior da boca do bebê.
  • O bebê suga com movimentos curtos e rápidos de início, passando a movimentos mais amplos e contínuos com o fluxo de leite, e com pausas cada vez mais prolongadas ao longo da mamada.
  • As bochechas do bebê ficam arredondadas e não encovadas e pode se ouvir o leite sendo engolido.

* * *

Fonte: MANUAL DE PROCEDIMENTOS: PREVENÇÃO E TRATAMENTO DAS INTERCORRÊNCIAS MAMÁRIAS NA AMAMENTAÇÃO.

Deixe um comentário